Qual é o papel da glândula pituitária?

O papel da glândula pituitária é secretar hormônios que regulam os processos corporais e manter a homeostase, ou a função estável. Esta glândula, que é aproximadamente do tamanho de uma ervilha, está localizada logo abaixo do cérebro e consiste em duas partes principais: os lobos anterior e posterior. Uma estrutura chamada de caule pituitária conecta-a ​​ao hipotálamo, uma área do cérebro. Os hormônios produzidos por esta glândula incluem hormônio do crescimento, hormônio estimulante da tiróide, oxitocina e gonadotropinas. Distúrbios ou tumores que afetam esta área podem resultar em uma série de doenças que envolvem desequilíbrio hormonal.

O lobo anterior da glândula pituitária secreta vários hormônios principais, incluindo hormônio do crescimento, hormônio estimulante da tireoideia e gonadotropinas. O hormônio do crescimento controla o crescimento corporal, especialmente durante a infância. O hormônio estimulante da tireóide regula a função da glândula tireoidea, que por sua vez controla o metabolismo do corpo. As gonadotropinas incluem hormônios sexuais que regulam a produção de estrogênio em mulheres e testosterona em homens.

A outra região da glândula pituitária é o lobo posterior. Esta parte da glândula secreta um hormônio do rim que controla a conservação da água corporal. Também secreta oxitocina, o que é importante nas funções reprodutivas. Embora a oxitocina seja um componente dos sistemas reprodutivos masculinos e femininos, é especialmente importante para as mulheres, pois regula as contracções durante o processo de nascimento e a secreção de leite.

Os hormônios sintetizados e gerados pela glândula pituitária são essenciais para ajudar o corpo a manter a homeostase – o funcionamento correto e estável dos sistemas corporais. Esses produtos químicos desencadeiam eventos no corpo que permitem responder aos estímulos em seu ambiente. Eles também regulamenta o crescimento e desenvolvimento do corpo durante a infância e adolescência. A glândula pituitária efetivamente controla todas as outras glândulas do sistema endócrino, tornando-se uma parte vital do corpo.

Uma vez que esta glândula desempenha um papel tão fundamental na manutenção da função corporal, seu mau funcionamento pode facilmente causar doenças. A secreção de muito ou não o suficiente de um determinado hormônio é muitas vezes suficiente para derrubar o corpo inteiro fora de equilíbrio. Por exemplo, as crianças que sofrem de uma falta de produção de hormônio do crescimento podem deixar de alcançar uma certa estatura. As características e funções sexuais podem ser reduzidas pela deficiência de gonadotropina.

Outros distúrbios, como a doença de Cushing e o gigantismo, são causados ​​pela superabundância de um certo hormônio. A doença de Cushing ocorre quando a glândula pituitária secreta muito hormônio adrenocorticotrópico, o que leva à liberação de um hormônio do estresse conhecido como cortisol. O gigantismo é causado por um tumor da glândula pituitária, o que resulta em muito hormônio de crescimento que está sendo liberado. Aqueles com gigantismo são muito mais altos do que a pessoa média e muitas vezes sofrem problemas físicos.