O que é memória de trabalho verbal?

A memória de trabalho verbal é um subconjunto da memória de trabalho, vulgarmente conhecida como “memória de curto prazo”. Refere-se à quantidade de informação verbal que o cérebro pode segurar e manipular para atingir um objetivo ou resolver um problema. A memória de trabalho verbal envolve mais do que simplesmente a capacidade de regurgitar informações, também envolve a capacidade de processar informações e decidir quais informações são necessárias para uma tarefa específica. Foi por esta razão que o psicólogo britânico Alan Braddeley cunhou o termo “memória de trabalho” para substituir “memória de curto prazo” na literatura científica.

Com base em técnicas de imagem cerebral, os pesquisadores determinaram que a maioria dos processos da memória verbal ocorre no hemisfério esquerdo do córtex pré-frontal. A maioria das informações lingüísticas são armazenadas e processadas em duas áreas próximas do córtex hemisférico esquerdo: a área de Broca, que controla gramática e sintaxe, e a área de Wernike, que controla conteúdo e compreensão. Esta suposição é feita com base em testes de adultos, já que o idioma ainda não se tornou totalmente localizado em crianças.

Uma das formas mais simples deste tipo de memória é conhecida como o ciclo fonológico, no qual algumas palavras ou frases são repetidas na mente continuamente por um curto período de tempo. Um ciclo fonológico pode consistir em informações recebidas ou em enunciados originais planejados chamados ensaios subvocais. Um exemplo de informação recebida pode ser uma pessoa que repita um endereço ou número de telefone uma e outra vez enquanto procura por um pedaço de papel no qual o escreve – o loop fonológico não contém nenhuma informação original, apenas informações já disponíveis. O ensaio subvocal, no entanto, é o processo de formulação de frases novas antes de serem faladas. Por exemplo, pode-se imaginar um jovem ou mulher que ensaiou mentalmente palavras como, “Eu amo você, mas isso não está funcionando”, em preparação para dizê-los em voz alta.

A memória de trabalho verbal também ajuda na tarefa altamente complexa de compreensão de leitura. Isso envolve a realização de informações lingüísticas sobre uma frase na mente o suficiente para entender tanto essa frase como sua relação com as frases circundantes. Quanto maior e mais complexo o material escrito, os componentes individuais mais longos devem ser mantidos na memória de trabalho antes de serem assimilados em uma compreensão geral do material. Isso explica por que as frases mais longas geralmente são mais difíceis de entender do que as curtas.

A aquisição da linguagem é outra tarefa que é auxiliada por esse tipo de memória. É amplamente reconhecido que simplesmente memorizar palavras ou frases em uma língua estrangeira geralmente não é suficiente para tornar a pessoa capaz de falar e entender o idioma. A memória verbal permite que um aluno da linguagem não apenas memorize informações, mas também analise novos conteúdos linguísticos conscientemente ou inconscientemente, como é recebido. A partir daí, o aprendiz é capaz de aplicar conceitos gramaticais que ele ou ela aprendeu para produzir enunciados originais.